logo

Almaviva conclui comemoração da sua 15a Safra com evento no Rio.

ALMAVIVA  CELEBROU  SUA 15ª SAFRA

Evento Exclusivo, contou com a presença de Felipe Larrain, Presidente de Almaviva e Executivo de Viña Conha y Toro, além de Michel Friou, enólogo de Almaviva.

 

Para comemorar o lançamento da 15ª safra de Almaviva, a empresa, joint venture entre o Château Mouton Rothschild na França e a Chilena Concha y Toro, organizou dois grandes eventos no Brasil. O primeiro deles, em março, em São Paulo e o segundo em outubro no Rio de Janeiro. Além do Chile, apenas o Brasil foi escolhido para esta comemoração.

 

O evento, realizado nos emblemáticos salões do Copacabana Palace,  contou com duas partes distintas: uma degustação vertical, com 7 safras de Almaviva, conduzida pelo enólogo chefe, Michel Friou, seguida de jantar de gala. Durante o jantar, especialmente criado para esta ocasião por Francesco Carli, do Cipriani, foram selecionadas três safras de Almaviva, escolhidas pelo próprio Michel Friou, sendo uma delas a mítica 1996.

 

Almaviva nasceu há dez anos, sob o conceito de Chateau Francês. O vinhedo ocupa um terroir exclusivo, possui uma única adega e uma equipe técnica que se dedica unicamente a produzir este grande vinho. Estas características o transformam em um vinho de grande sofisticação, o qual se vende para o mundo todo, exceto os Estados Unidos, através de distribuidores especiais, os conhecidos Negociantes de Bordeaux e através de cadeias de distribuição de Baron Philippe de Rothschild S/A e Viña Concha y Toro S/A.

 

Atualmente, Almaviva está trabalhando num projeto muito ambicioso, que é o de fazer parte do seleto grupo de vinhos finos que hoje é formado por Ornelaia, Solaia, Sassicaia, da Itália, e Opus One nos Estados Unidos.  Vinhos que custam em torno de US$ 1.200 a US$ 1.500 por caixa de 9 litros, com vendas superiores a 10.000 caixas de 9 litros.

 

Espera-se chegar a esse patamar num período de 10 anos. O que significa quase dobrar seu atual preço de exportação que hoje, está em torno de US$ 800 a caixa de 9 litros. 

 

Almaviva possui, hoje, o preço médio mais alto da indústria chilena de vinhos.

 

A estratégia está baseada em aumentar a presença em mercados chave, com potencial de crescimento para produtos de luxo e aumentar a distribuição em restaurantes de alta gama em nível internacional. O Brasil é parte importante desta estratégia, convertendo-se em um dos países chave para Almaviva na obtenção dessa meta.

 

A produção anual de Almaviva está em torno das 12.000 a 15.000 caixa de 9 litros. A principal preocupação de seus donos é com a qualidade e a excelência, o que lhe rendeu pontuações superiores a 90 pontos em todas suas 15 safras por parte de experts como Robert Parker, e a revista Wine Spectator, referência máxima dessa indústria no mundo. Vale ressaltar a pontuação obtida com a safra 2009 na revista Wine Spectator de 96 pontos, a mais alta obtida por Almaviva.

 

Atualmente, a distribuição de Almaviva na América Latina corresponde a 17% de suas vendas anuais, onde o mercado mais importante da região é o Brasil. Ásia representa 50%, Europa 18% e América do Norte 15%.

 

Falando, específicamente do Brasil e dada a importância deste mercado para Almaviva, o Brasil foi eleito como o número um, onde se comemorou a 15a

  

 

Sobre Almaviva: www.almavivawinery.com

Galeria de imagens

     

Parceiros 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                             

         

 

         

 

       

 

 

 

 

 

  

  

 

 

 

© 2010 - cristinaneves.com.br - todos os direitos reservados | powered by <hotpage/>© | Mapa do Site